quinta-feira, 30 de maio de 2013

'Meninas de Guarus' : procurdador Geral de Justiça do Estado vai definir novo promotor

O procurador geral de Justiça do Estado do Rio, Marfan Vieira, determinou que as investigações do “Meninas de Guarus” está reaberto e que na próxima segunda-feira ele anuncia o nome do promotor de Justiça que será responsável pelo caso. A informação foi dada nessa quarta-feira pelo deputado estadual Marcelo Freixo, presidente da Comissão de Direitos Humanos e Cidadania da Alerj ao deputado estadual Roberto Henriques, requerente da audiência pública que aconteceu na Câmara Municipal de Campos no dia 17 de maio. “As informações que recebi do deputado Marcelo Freixo demonstram que não foi em vão a luta da população de Campos, que se organizou pelas redes sociais, blogs e imprensa, e minha luta enquanto deputado estadual, que busquei através da aprovação e realização da audiência pública a verdade e a justiça”.  Participam também do processo de discussão, pela Alerj, as comissões de Defesa dos Direitos da Mulher e dos Assuntos da Criança, do Adolescente e do Idoso.
Marcelo Freixo esteve diretamente com o procurador Marfan e relatou o caso, que considerou de extrema gravidade. Outras iniciativas, como solicitação de documentos aos órgãos envolvidos no caso, à época, também estão sendo tomadas pela Comissão de Direitos Humanos e Cidadania.
- Contribuí para que não terminasse nos arquivos o pavoroso inquérito que assombrou e deixou perplexa toda a população de Campos e que se arrasta desde o ano de 2009, sem qualquer solução. O que orientou sempre a todos foi a busca pela justiça e proteção às crianças e adolescentes de Campos dos Goytacazes – disse Roberto Henriques.
Marcelo Freixo também informou a Roberto Henriques que estará à disposição da imprensa de Campos na próxima quarta-feira, 5, para prestar mais esclarecimentos sobre o caso.

Ascom

Atualizado às 20:02 para complementar o título, após observação de leitor(a)

13 comentários:

Anônimo disse...

Que este horrendo acontecimento seja elucidado.Que este , não seja mais um ato,que não faça parte de uma encenação para proveito de alguns.
A população campista está cheia de tanta desfaçatez por parte dos poderes constituidos.

Anônimo disse...

O título da nota está incorreto, pois na verdade está se referindo ao Procurador Geral de Justiça (Chefe do Ministério Público Estadual), não do Estado.

Jane Nunes disse...

Correção feita. Obrigada!

Anônimo disse...

tem que aparecer os nomes de todos envolvidos nessa nojeira.

Anônimo disse...

Meus Deus, como demora fazer justiça neste país.
Precisa de intervenQuando faz.
Precisa de intervenção política para que um crime seja apurado...
NOJO!

Joaquim Sanguedo disse...

Porque o atual promotor não levou afrente este caso, mantendo tudo no mais alto sigilo?

Jane Nunes disse...

Seria bom que isso tb fosse apurado né Joaquim?

Anônimo disse...

Isso mesmo, qual a razão de não ter sido apurado até então?
Que o promotor destes 4 anos seja arguido pelos seus superiores.

Anônimo disse...

É isso Joaquim.Que seja apurado o motivo da demora.Afinal são 4 anos de silencio .

Anônimo disse...

Que a(s) autoridade(s)
incumbida(s) do caso nestes 4 anos de silencio seja(m) investigada(s).
Inconcebível o descaso.
A sociedade campista deseja e EXIGE explicações e uma investigação compatível com a gravidade do caso!
Chega de tanta impunidade, de tanto silencio e omissão diante dos descalabros que acontecem neste município.
As autoridades judiciais estão devendo esta à população de Campos.Somos cidadãos e queremos ser respeitados como tal.

Anônimo disse...

Só por curiosidade,esse Joaquim Sanguedo é parente de Ana lúcia Boynard Sanguedo?

Anônimo disse...

Que a punição seja ampla , geral e irestrita.
Campos já não aguenta mais tanta safadesa escondida para baixo do tapete!

Anônimo disse...

tem muito nome conhecido nessa calamidade. por isso a coisa ficou camuflada. muito homem 'de respeito', casado, religiosíssimo, mas sem vergonha, pedófilo, safado e com muito dinheiro para subornar quem precisa.